E-mail Marketing: 7 erros para evitar no seu próximo envio

Por Oséias Arnaldo - 22/02/2017

Muitas empresas utilizam ferramentas virtuais para alavancar os seus negócios, tanto na visibilidade da marca, como consequentemente, a atração de novos clientes em potencial. Uma das ferramentas mais importantes para manter contato com clientes é a utilização do e-mail marketing. Você sabe como usar essa ferramenta a seu favor?
Vamos te apresentar os sete problemas mais comuns e as melhores maneiras de obter impactos positivos no relacionamento com sua base de contatos.

Erro nº 1 – Não usar um serviço especializado

Email transacional não server para email marketing

O primeiro passo em que as empresas erram é na escolha da plataforma ideal para disparar as campanhas. É comum ver profissionais que se encarregam da comunicação da empresa utilizarem o próprio endereço, colocando os destinatários com cópia oculta (CCO) e enviando de cinquenta em cinquenta destinatários, porque o serviço de e-mail da empresa bloqueia o envio para um número maior de pessoas. Você já parou pra pensar por que o serviço bloqueia o envio para grandes quantidades? Justamente porque o e-mail transacional não foi feito para o envio em massa.

A diferença entre o envio transacional e o e-mail marketing está no próprio nome: o transacional (aquele que os profissionais de uma empresa usam para se comunicar) serve para enviar conteúdos específicos, que são enviados para apenas uma pessoa (ou no máximo, algumas em cópia). Já o e-mail marketing é o envio em massa para uma série de pessoas que fazem parte de uma lista.

São inúmeros problemas que não usar um serviço especializado pode trazer. Os dois principais são: ser impedido de enviar novos conteúdos por algumas horas e entrar em uma lista de spam, o que é muito pior. Imagine o caos que seria se os boletos de sua empresa caíssem em spam de uma hora para outra.

O que se recomenda, portanto, é o uso de ferramentas específicas para tal fim. Há várias soluções no mercado, desde as totalmente prontas, como o Mailchimp, às soluções mais rentáveis, como servidores da Amazon SES (Simple E-mail Service), que são mais baratos por serem apenas servidores, mas em contrapartida necessitarão de um software a parte para operá-los.

 

Erro nº 2 – Enviar e-mail marketing apenas com imagens

Email marketing só com imagem tem mais chance de cair em spam

É impossível negar que enviar uma campanha, que contém apenas uma imagem é mais fácil do que diagramar uma peça em HTML. A maneira mais fácil, porém, não é a maneira correta. Ao enviar uma campanha com apenas uma imagem, o servidor do destinatário não consegue decifrar o conteúdo da mensagem, e por isso o marca como suspeito, aumentando o risco do e-mail cair na caixa de spam, prejudicando o desempenho da campanha. A diagramação em HTML permite um layout mais atraente para a peça e maiores chances dele chegar na caixa de entrada.

Caso não seja possível diagramar o e-mail marketing em HTML, dê preferência a utilização de um texto unido a imagem. Nós da React já alcançamos ótimos números com mensagens em textos puros, que continham apenas uma chamada com links para o nosso blog. Alguns conteúdos chegaram a taxa de 50% de abertura.

 

Erro nº 3 – Não usar CTA (Call To Action)

Email com call to action (CTA)

O termo Call to Action significa “Chamada para Ação”, o nome já explica: são dispositivos que estimulam a pessoa que abriu o conteúdo a realizar alguma ação. A ação vai de acordo com a campanha, mas em resumo sempre se leva para outra página através de um link ou botão. Na página de destino, o usuário poderá ler uma página do blog, fazer download de um arquivo, ver um vídeo, se cadastrar em uma landing page, ou até fazer uma compra.

Não usar um Call to Action quer dizer que o usuário não foi incentivado a nenhuma ação. Você despertou a atenção do cliente mas perdeu a oportunidade de converter essa atenção em uma interação maior, como por exemplo, uma venda.

 

Erro nº 4 – Comprar listas de terceiros

Lista comprada de email marketing

A diferença primordial entre o e-mail marketing e o spam é que no primeiro caso as pessoas se cadastraram ou tem algum vínculo com a marca que faz a campanha, enquanto o spam é uma prática que incomoda, na qual a pessoa não pediu para receber o conteúdo. Caso você adquira uma lista qualquer na internet, você estará fazendo spam, e perdendo muitos pontos com o público.

O ideal para ter uma lista sólida é entregar valor para os visitantes da sua página, para que eles se convertam em leads (cliente em potencial). Pode ser uma estratégia de conversão, disponibilizar formulários em pontos estratégicos do site, que darão alguma informação rica ou oferta para aqueles que fizerem o cadastro. Uma ferramenta primordial para a geração de leads são as landing pages.

Nos primórdios da React, quando éramos inexperientes, compramos uma lista para uma projeto que tínhamos. De 18 mil endereços, apenas 4 mil chegaram na caixa de entrada, a maior parte caiu em spam e quase 3 mil destinatários deram bounce (termo usado quando o servidor destinatário volta uma mensagem ao remetente dizendo que aquele determinado endereço não existe). Em resumo, pagamos caro pela lista, ficamos temporariamente banidos do serviço de envio e apenas 3 vendas foram realizadas. Em 2012 aprendemos na prática que comprar listas é um erro.

 

Erro nº 5 – Ignorar as diretrizes anti-spam

Ignorar diretrizes anti-spam

Além de diagramar os conteúdos em HTML e não comprar listas, há um conjunto de boas práticas recomendáveis que você deve seguir no disparo de e-mail marketing. Um exemplo simples e essencial é possibilitar uma maneira da pessoa poder parar de receber os conteúdos (opt-out). Ao seguir as diretrizes, você está garantindo que suas campanhas não estão prejudicando a forma que os clientes e servidores “consideram” seu domínio, preservando a marca como um ativo a longo prazo.

No Brasil, o Comitê Gestor da Internet (cgi.br) disponibiliza uma lista simples de boas práticas de e-mail marketing em seu site, dedicado ao combate de SPAM.

 

Erro nº 6 – Fazer um título desinteressante

Títulos desinteressantes = todo o trabalho por água abaixo

O título é a parte mais importante. Ter um título criativo, que não seja muito longo, aumenta muito as chances do usuário abrir a peça disparada. Outra tática é citar o nome dele no título da mensagem, fazendo com que a mensagem fique mais pessoal.

Este é sem dúvidas o erro mais triste, pois se você montou um bom conteúdo, planejou o envio, cuidou da lista, fez uma peça totalmente afinada com as boas práticas, mas deslizou no título, o seu trabalho foi por água abaixo. Quando o título não é interessante o lead simplesmente não abre o conteúdo, então foi tudo em vão.

 

Erro nº 7 – Não acompanhar os números (relatórios)

Acompanhe o crescimento dos seus números

A beleza do marketing digital é que (quase) tudo é metrificável. Após o disparo do e-mail marketing é importante verificar os resultados que ele trouxe. Os principais indicadores são:

  • Taxa de abertura;
  • Taxa de cliques;
  • Usuários que desinscreveram ou marcaram como spam;

Além de analisar estes números por campanha, é preciso verificar a evolução dos mesmos. Se a taxa de abertura está subindo, quer dizer que as pessoas estão mais interessadas nos conteúdos ou que os conteúdos estão mais relevantes. Analisar os resultados é um exercício que norteia as marcas para o sucesso.

Você faz campanhas de e-mail marketing para a sua empresa? Gostaria de melhorar os resultados? Vamos iniciar uma conversa.

Receba nossos conteúdos