Site Responsivo: 4 motivos para o seu site ser adaptável

Por Oséias Arnaldo - 11/10/2016

Em 2010, o profissional em web Ethan Marcote definiu o que é um site responsivo em seu artigo  “Responsive web design”. No texto, ele explica que começou a ser cotado para fazer sites para iPhone. Ethan, naquela época, conseguiu enxergar o problema com o qual se deparava. Fazer uma versão para aparelho seria caro e pouco produtivo.

Foi por esta razão que o conceito “responsive”, que já era usado na arquitetura, foi aplicado para a web.

Site Responsivo

Aqui na React nós explicamos um site responsivo como aquele que “se empilha” para caber em uma tela móvel priorizando o que é necessário para o usuário naquele dispositivo. Ou seja, o conteúdo se ajusta para ser mais “amigável” em uma tela menor, de forma a contribuir para a experiência do usuário. Nosso primeiro site responsivo foi feito em 2011 (www.pellomix.com.br) para uma clínica de estética em Resende. Na época, tomamos a decisão de fazer todos os futuros sites assim, pois a estratégia da agência era mostrar isso como um diferencial no mercado, uma vez que boa parte dos clientes não sabiam a diferença entre um site responsivo e um site normal. Hoje, durante as negociações, os próprios clientes perguntam se o site será desta maneira.

Listamos para você os 4 principais motivos pelos quais defendemos que todo site deve ser responsivo:

1 – Mais de 70 milhões de brasileiros acessam a internet pelo smartphone

Segundo o centro de pesquisa Nielsen, o número de usuários de internet no Brasil chegou a 72,4 milhões no segundo semestre de 2015. Dentro deste universo, 35% das pessoas têm entre 10 e 24 anos, 52% tem entre 25 e 34 anos, e 13% tem mais de 50 anos. Segundo o Banco Mundial, 57% dos brasileiros acessam a internet, número que representa 114 milhões de pessoas.

Sendo assim, em números resumidos: a cada 100 brasileiros, 57 acessam a internet e, desse grupo, 36 acessam pelo celular. Só este argumento já bastaria para ter um site responsivo, correto?

2 – O Google dá prioridade para sites responsivos

Em abril de 2015 o Google refinou seu algoritmo para melhorar a experiência do usuário nas buscas feitas em dispositivos móveis. Segundo os profissionais que noticiaram, a mudança afeta as buscas em todo o mundo e tem significante impacto nos resultados. Como consequência, os usuários terão facilidade em encontrar resultados relevantes e de boa qualidade que estão otimizados para os seus dispositivos.

É importante lembrar que o propósito do Google é possibilitar ao usuário os melhores resultados nas pesquisas. Logo, é fácil entender porque esta mudança foi implementada: o melhor resultado não diz respeito apenas ao conteúdo, mas também à forma que ele será apresentado.

3 – Um Site responsivo contribui para a boa experiência do usuário (seu cliente em potencial)

Um bom estudo de experiência do usuário pode ser resumido em respeitar o tempo dele e auxiliá-lo a realizar a tarefa que ele precisa, seja descobrir um telefone, obter informações sobre um serviço ou preencher um formulário de contato. O design focado em experiência faz o usuário “seguir o fluxo”, sem precisar aprender ou decorar um caminho para realizar sua tarefa. Ele se encontra em um contexto em que a informação é abundante, o tempo é escasso e a paciência também. O design de um site responsivo contribui para a experiência do usuário pois, caso ele use o site em um tablet ou celular, não haverá dificuldades para aumentar o conteúdo.

4 – A concorrência é responsiva

Grande parte dos sites criados a partir de 2010 são responsivos devido ao grande movimento de evangelização da comunidade de desenvolvedores da web. Com a grande variedade de tutoriais e templates prontos, boa parte dos sites criados a partir deste ano já seguem o conceito. Em uma breve pesquisa no Themeforest, você verá que praticamente todo layout se adapta aos dispositivos móveis. Faça o experimento: pegue seu smartphone e procure por termos ligados ao seu negócio. Você provavelmente encontrará sites que abrem de forma adaptada a sua tela. Se seu segmento for como a maioria, você verá que há concorrentes que já saíram na frente, ao menos neste quesito.

Quais são os problemas em não ter um site responsivo?

O problema está na experiência do usuário, que é prejudicada. Existem três problemas de usabilidade que podem acontecer quando um site não adaptado é aberto em um smartphone:

  • Tamanho reduzido: o site se comporta como se estivesse abrindo em uma tela de computador normal, diminuindo seu tamanho para caber totalmente na tela. O usuário é forçado a dar o “zoom in” (tocar a tela com dois dedos e distanciá-los) para ler o conteúdo.
  • Elementos sobrepostos e mal customizados: em uma tela reduzida, os elementos podem se sobrepor a ponto de impedir que o usuário leia um conteúdo relevante ou consiga tocar em um campo para preenchê-lo. Dentre os erros, o mais comum é a lista de links do menu descer e entrar na frente de um título no cabeçalho de um conteúdo.
  • Site pesado: Alguns sites fazem uso de vídeos e imagens de alta resolução para impactar o usuário. Porém, este conteúdo pode se tornar pesado nos smartphones. Para este caso, um site pode ser pesado tanto em questão de banda de internet (um vídeo em repetição no fundo costuma alcançar 5 megabytes).

E o seu site, é responsivo?

O Google disponibiliza um teste gratuito para verificar se um site é “mobile-friendly”. Quando existem erros, ele também mostra sugestões de melhorias. Se seu site realmente estiver desatualizado, ainda há tempo de pedir um orçamento para a React. Converse com um dos nossos consultores e saiba como criar estragégias de marketing digital que promovam resultados.

Receba nossos conteúdos