Já recebeu aquela propaganda que parece feita exatamente para você, que estava em um shopping ou próximo a uma loja? Parece teoria da conspiração não é mesmo? O tempo inteiro estamos ouvindo frases como: “as empresas sabem mais da gente do que nós mesmos”, “estamos sendo vigiados”.

Bom, se elas realmente sabem tanto sobre nós, não temos como afirmar. Mas temos certeza de que as empresas sabem onde estamos localizados.  A parte boa, é que você também pode fazer um bom uso de técnicas como a da geolocalização para otimizar marketing da sua instituição de ensino, principalmente para campanha de captação de alunos.

O que é a Geolocalização?

Geolocalização nada mais é que a localização real ou aproximada de um dispositivo (celular, tablet, smart watch, notebooks).  Ela funciona através de alguns “rastros” que o usuário utiliza, como o número de IP (Internet Protocol) do dispositivo, a conexão via wifi, e principalmente, o os apps que utilizam sua localização de GPS.

Desta forma, a Geolocalização está sendo explorada das maneiras mais diversas. Pode ser utilizada para tornar possível a navegação de um motorista, via GPS, e também, para exibir anúncios. 

No lugar certo, na hora certa

O que é a Geolocalização?

De acordo com o próprio Google, emitir uma propaganda de interesse do usuário que está em um determinado local, aumenta o CTR do anúncio em até 45%, o que comprova a importância de utilizar a localização do receptor da mensagem dentro de uma estratégia de marketing.

Obviamente, divulgar um produto ou serviço apenas com o filtro de localidade, pode acabar por não ser efetivo. É necessário entender também que os interesses do público devem ser correspondentes ao da propaganda.

Veja Também:  Site Responsivo: 4 Motivos para o seu Site ser Adaptável

Isso quer dizer que para necessidades básicas,  é provável que um anúncio funcione somente delimitando um raio de distância. Um exemplo disso é um delivery de comida que funciona apenas no seu bairro.

Mas para que se tenha eficácia em um anúncio de uma creche, é preciso segmentar um pouco mais além da geolocalização. Nesse caso, é interessante procurar pais que moram em um raio de distância de 2km, empregados que possuam filhos com menos de 3 anos de idade.

Somente com os exemplos acima já se percebe a importância da geolocalização para uma creche, escola, ou até faculdade. Correto?

Então confira abaixo as 9 maneiras que separamos para explorar o geotargeting em instituições de ensino!

9 Maneiras de explorar a Geolocalização no Marketing Educacional

9 Maneiras de explorar a Geolocalização no Marketing Educacional

Escolas:

1 – Divulgação em bairros e condomínios específicos. Analise os bairros em que seus clientes se encontram. Se há concentração em determinados bairros, é uma dica de que fazer geotargeting para aqueles locais irá otimizar os anúncios de captação. Esta mesma ideia também pode ser utilizada para divulgação em condomínios fechados que possuam um poder aquisitivo compatível com a IE.

2 – Pais que pensam em trocar o colégio dos filhos. Em determinadas épocas do ano, é comum haver transferências. Se sua equipe de marketing registra de onde os alunos estudaram anteriormente, é possível colocar pins no mapa nas proximidades destas escolas. Neste caso, os anúncios do Facebook serão exibidos para pais que estejam passando por perto.

Ensino Superior:

3 –  Graduação em EAD: Cidades onde não existem faculdades. Segundo o mapa do ensino superior do SEMESP existem cerca 2.488 IES. Ao mesmo tempo, segundo o IBGE, temos no Brasil 5.570 municípios. Portanto, ao desconsideramos universidades com pólos fora da cidade, concluímos que podem existir no Brasil cerca de 3 mil cidades onde não existe faculdades. Nesta lógica, as IES podem realizar anúncios de ensino a distância onde a modalidade EAD é a única forma de se fazer uma graduação.

4 – Apoio em Outdoors. Imagine que sua Instituição de Ensino anuncia em um outdoor bem posicionado na região. Ao misturar o conceito de geolocalização e remarketing, é possível impactar novamente a pessoa que viu o outdoor no celular. O que pode aumentar a eficácia do investimento na mídia alternativa.

Veja Também:  Redes Sociais Para IES: 5 Insights para Atrair e Engajar Alunos

5 – Apoio em anúncios de TV: Geolocalização + Timming.  Seguindo a mesma ideia do outdoor, também é possível fazer um anúncio específico para a região onde está sendo veiculado um anúncio na TV. Neste caso, a variável chave é o horário de veiculação. Tanto no Facebook quanto no Google é possível veicular para determinados horários. Então, se é esperado que o anúncio apareça na TV entre 9h e 10h, “repetir” o anúncio no celular também irá aumentar a eficácia do investimento.

6 – IE em Shopping center – Se sabe que algumas IES aproveitam a vacância em shoppings centers, o que é vantajoso em relação ao alto volume de pessoas que passam por lá. No Facebook por exemplo, é possível veicular anúncios para pessoas que passaram por este ponto, tendo mais eficácia.

7 – Eventos para vestibulandos – Existem eventos locais que concentram alunos do ensino médio que estão em fase de decisão de uma graduação. Um exemplo que pode ser citado é a feira Educação e Carreira, realizada em Volta Redonda (RJ). Realizar anúncios de geotargeting para quem passa por ali em determinado momento também pode ser interessante. A eficácia dos anúncios dependerá do tamanho da evento e da duração da mesmo.

Pós graduação:

8 – Centros empresariais. Para cursos que aprofundam uma profissão, a dica de geotargeting é imaginar onde estão estas pessoas. Uma pós relacionada a engenharia pode ter concentrar esforços em um polo industrial. Da mesma forma é vantagem anunciar um MBA em bairros com concentração de escritórios.

9 – Cursos relacionados à saúde. Seguindo a mesma ideia dos centros empresariais, é possível fazer geolocalização para veicular anúncios em hospitais, com o intuito de vender cursos de aperfeiçoamento para médicos, enfermeiros e profissionais da saúde. Isso acontece devido ao grande tamanho dos centros médicos, que permitem delimitar um raio bem delimitado no Facebook.

Onde Usar

Onde usar a Geolocalização

Facebook – Através do gerenciador de anúncios, na parte de criação de um público-alvo, é possível segmentar tanto por cidade quanto por raio. Além da geolocalização, é possível segmentar o usuário de acordo com a sua interação com aquela área: se ele mora; passa por lá; visitou recentemente ou se está em viagem no local.

Veja Também:  6 Qualidades das Escolas de Samba que Sua Empresa Devia Ter

Google Ads – Assim como o Facebook, também é possível anunciar tanto por cidade quanto por raio. Porém, o Google não dá tanta definição na opção de pins (raios de distância), uma vez que o zoom do mapa é reduzido para esta opção.

Estratégias como a geolocalização e geotargeting fazem parte da etapa de atração do inbound marketing. Por isso é sempre importante a equipe de marketing da IES se manter atualizada para extrair o máximo possível das novas técnicas disponibilizadas no mercado.

Quer saber mais? Inscreva-se em nossa newsletter e receba novidades sobre o mercado de marketing educacional.

< Voltar

Veja também

ESTÁ PRONTO?

explore novas galáxias.

Quero Explorar