Para quem trabalha com marketing educacional, manter uma estratégia de captação de alunos é prioridade. Ao estruturar uma estratégia de captação, é possível aplicar o conceito de funil de vendas, que compõe parte da estratégia de inbound marketing. Neste post detalhamos as principais ações para atrair potenciais alunos.

Somente para relembrar, o funil de vendas é composto pelas seguintes etapas:

  • Atrair: parte do público é atraído para o funil, e tornam-se visitantes;
  • Converter: os visitantes se tornam leads, isto é, cadastram seus dados em troca de algo;
  • Relacionar: nutrimos os leads com conteúdos e mapeamos o seu comportamento. Ao detectar leads qualificados, encaminhamos às vendas;
  • Vender: com o lead interessado e pronto para comprar, realizamos a venda;
  • Analisar: verificamos o desempenho, gaps e oportunidades de cada etapa do funil.

O intuito de atrair é gerar tráfego de visitantes, que é a matéria-prima do funil de vendas. Se não existir atração, não há como realizar as outras etapas do funil.

Agora que ficou claro porque a atração é primordial, vamos conhecer as 7 ações que nossa equipe elencou para atrair alunos.

1 – Entender a Jornada do Cliente

1 - Entender a Jornada do Cliente

Como o funil de vendas engloba muitas tarefas, é fácil ficar perdido no caminho. Por isso, definir a jornada do cliente é importante para evitar ações fora de foco.

Veja Também:  Mídia Paga Para IES: Vantagens de Anunciar no Digital

Afinal, como falar com quem não conhecemos? Quais conteúdos vão fazer sentido para estas pessoas? Do que elas precisam para tomar a decisão de que aquele curso é a melhor escolha?

Portanto,  tenha em mente que é necessário definir a jornada do cliente para que as outras ações tenham sucesso.

2 – Investir em SEO

2 - Investir em SEO

SEO significa Search Engine Optimization, que em português significa otimização de busca orgânica. É um conjunto de técnicas com a finalidade de ranquear um site em buscadores como Google, Bing, Yahoo Search e outros.

Segundo o benchmark do Google Analytics, o tráfego orgânico costuma corresponder até 50% das visitas em sites de instituições de ensino superior. Por isso SEO é tão relevante para o marketing educacional.

Leia também: SEO para IES: Tudo para captar alunos + 7 Dicas

3 – Otimizar Páginas de Cursos

3 - Otimizar Páginas de Cursos

As páginas de cursos são elementos especiais no site de uma instituição de ensino, independentemente de se tratar de IES, escolas particulares ou cursos livres. De fato, tais páginas precisam conter todas as informações possíveis para não deixar dúvida ao cliente, facilitando a escolha dele.

Quando o futuro aluno já sabe qual curso ele deseja fazer, são comuns buscas como “graduação em direito rj” ou “técnico enfermagem sp”. Neste contexto, o Google tende a priorizar páginas específicas de cursos.

Uma dica para tornar as páginas de curso mais completas é criar um formulário no Google Forms para que os atendentes de telemarketing cadastrem dúvidas inéditas.

4 – Criar Estratégias de Conteúdo para Cada Curso

4 - Criar Estratégias de Conteúdo para Cada Curso

Existe uma infinidade de fatores que levam um candidato a decidir pelo curso, mas podemos dividir os fatores de decisão em três categorias:

  • Aluno: proximidade, investimento, prioridades, carreira e momento de vida;
  • Instituição: a qualidade, tradição, inovação e credibilidade;
  • Curso: aprendizado, o que falam sobre, os professores, grade, entre outros.

Além de disponibilizar as informações, a instituição pode criar conteúdo específico para cada curso. E há diversas possibilidades para explorar, como:

  • Entrevistas com professores sobre um tema;
  • Divulgação dos trabalhos feitos por alunos;
  • Materiais ricos sobre as profissões que o curso possibilita;
  • Egressos contando o dia a dia do mercado de trabalho;

A única atenção que se deve ter é que o público que deseja fazer o curso ainda é leigo. Portanto, é bom criar conteúdos introdutórios, para não espantar os candidatos.

Veja Também:  Como Definir o Público-alvo e a Persona de IES?

5 – Criar Conteúdos em Vídeo

5 - Criar Conteúdos em Vídeo

Não é novidade que o consumo de vídeos tem crescido rapidamente no Brasil. Desse modo, a pesquisa Video Viewers (Google & Provokers) trouxe as seguintes informações:

  • Entre 2018 e 2014, o consumo de vídeo online cresceu 135%;
  • Conhecimento é a segunda motivação de consumo de vídeo (29%);
  • 9 a cada 10 pessoas usam o Youtube para estudar.

Faz sentido utilizar vídeos no marketing educacional, uma vez que há estatísticas de sobra para provar que vídeos são aliados ao aprendizado.

Quando se fala em vídeo, é preciso definir por qual canal ele será veiculado. O Youtube é um dos mais populares, principalmente por reter 15% do share de vídeo no Brasil, perdendo somente para a Globo, que tem 18%.

Caso decida usar o Youtube para ter um canal, é preciso seguir as regras do jogo. Existem técnicas de SEO específicas para o Youtube, como por exemplo, trabalhar a descrição e as legendas do vídeo, já que a busca não processa o vídeo tão bem quanto processa texto.

6 – Anunciar em Mídia Paga

6 - Anunciar em Mídia Paga

As estratégias que elencamos até o momento levam tempo para tracionar. Por isso, quem precisa de resultados rápidos precisa dar atenção para a aquisição e tráfego via anúncios patrocinados.

Se considerarmos o total que os alunos investem ao longo de um curso (LTV), na maioria das vezes concluiremos que trabalhar com anúncios patrocinados tem um ótimo custo benefício.

Veja Também:  SEO para IES: Tudo para Captar Alunos + 7 DICAS

Porém, é preciso ter conhecimento para estruturar campanhas de mídia paga. A principal métrica que devemos ter em mente é o custo de aquisição do cliente (CAC), que está diretamente ligado ao custo benefício da campanha.

7 – Dar Atenção ao Social Media

7 - Dar Atenção ao Social Media

De acordo com a pesquisa Juventude Conectada (Fundação Telefônica), 95% dos jovens (15 a 29 anos) acessa ao menos uma rede social, em média 5 dias por semana.

Entretanto, é preciso estar atento com as regras de cada rede social. Por exemplo, o Instagram não possibilita postar links. Já o Facebook reduz o alcance da postagem quando mais de 25% da imagem é texto. Além disso, as redes sociais devem focar principalmente no relacionamento e no bom atendimento ao público alvo.

Ao realizar algumas as 7 ações que elencamos, você certamente irá aumentar o tráfego para captação de alunos. Para receber mais conteúdos específicos sobre marketing educacional, cadastre-se na nossa newsletter!

< Voltar

Veja também

ESTÁ PRONTO?

explore novas galáxias.

Quero Explorar